Raio-x do boletim

Dicas para entender o que significam as notas dos boletins escolares sem cair no desespero

Notas azuis, vermelhas, altas e baixas. Dependendo da postura dos pais diante desses resultados, a luta do aluno na escola passa a não ser pelo aprendizado, mas somente pelos números apresentados na caderneta, na ficha, no histórico do colégio. O famoso boletim. Como fazer para que isso não aconteça?

"O boletim é um código que expressa a correspondência entre o que o aluno aprendeu em relação ao que a escola esperava que ele aprendesse em um determinado período", define Maria Cecília Camargo Aranha Lima, coordenadora do segmento II de Ensino Fundamental em São Paulo. "É um dos indicadores de aprendizagem, mas não é o único. A avaliação deve ser contínua, um processo baseado na observação do professor no dia-a-dia do aluno", continua a coordenadora.

O ideal é que os pais relativizem a noção de nota. O importante é que a criança estude e realize as tarefas. Como argumenta, ainda, Maria Cecília: "Um aluno que estuda, produz bem em grupo e tem seu material organizado pode tirar uma nota baixa por acidente, e não é essa nota que vai dizer que estudante ele é".

Em vez de deixá-lo sozinho com essa missão, que tal oferecer uma mãozinha? Uma forma de fazer isso é ajudando-o a criar uma disciplina de estudo. "Toda criança precisa de ajuda para isso, para criar sua disciplina de horários, nem que seja apenas uma hora por dia. E a participação da mãe nisso é fundamental", afirma Cláudia Zuppini Dalcorso, diretora de escola. Converse com seu filho e veja qual é a melhor hora do dia para ele se dedicar aos estudos. Fixe essa hora e passe a ficar atenta se ela está mesmo sendo usada para fins escolares.

Na hora de estudar, evite cometer deslizes (até bastante comuns!) em comentários do dia-a-dia. Segundo a educadora Cláudia Dalcorso, é comum ouvir mães soltando frases como: "Não gosto de estudar, mas você não pode ser como eu". Pode ser prejudicial para a Educação de seus filhos. "A criança não se contenta só em saber o que é certo e o que não é. Ela precisa de atitude, do exemplo dos pais. A família precisa demonstrar que estudar e buscar informação é importante para a vida, e que não se trata de uma obrigação", alerta.

Outro comentário errado que Cláudia Zuppini vive escutando das mães é coitadinho, ele não fica um dia sem estudar. "Estudar é importante, é uma forma de assimilar tudo que está sendo passado na escola. E disciplina é fundamental em todas as fases da vida".


Boas práticas

– Informe-se sobre o sistema de avaliação do colégio de seu filho. As notas são apenas baseadas em provas? Ou também em trabalhos em grupo e comportamento?

– Compare seu filho com ele mesmo. Se ele progredir durante o ano, ótimo. Um aluno que começa o ano com uma nota 5 e acaba com 8 no boletim claramente progrediu, e isso é o que interessa.

– Preste atenção nos pontos fracos e fortes mostrados no boletim. Se seu filho se sai mal sempre nas mesmas disciplinas, talvez seja hora de conversar com os professores e entender o que se passa. Se ele tiver mesmo dificuldades, procure aulas de reforço.

– Não deixe notas baixas abalarem sua confiança em seu filho. Lembre-se que o importante é que ele seja um aluno interessado. Num esforço conjunto com a escola, ele pode se tornar um aluno melhor – se sentir segurança para isso.

– O desempenho dos colegas serve apenas de parâmetro no sentido de medir a exigência do colégio. Pode ser que, em um colégio muito rígido, a nota 7 seja considerada alta, por exemplo.

Texto Cynthia Costa

Comments are closed.