Respirar pela boca prejudica aprendizado

 Síndrome do respirador bucal também pode causar problema de postura e de dentição.

Dificuldade na escola, falta de atenção e problemas de memória, postura, dentição e até de interação com os colegas. Se seu filho passa por situações como essas, o problema pode estar no fato de ele respirar pela boca. A chamada síndrome do respirador bucal é mais comum e grave do que se imagina. Uma pesquisa da Ufes mostrou que 24% das crianças do ensino fundamental de Vitória, com idades
entre 6 e 12 anos, são respiradores bucais. Desses, 31% têm problemas com o sono e 9% disseram ter a sensação de parar de respirar enquanto dorme. O especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial e professor de Odontologia do Sono Rowdley Rossi explica que respirar pela boca altera todo o crescimento facial e traz vários problemas, inclusive de peso. “Ao mesmo tempo em que a criança tem que mastigar, ela tem que respirar. Por isso, opta por alimentos mais pastosos – para evitar a mastigação – e se alimenta menos”, conta. 

A psicóloga Angelita Scardua, que também participou da pesquisa, afirma que os problemas físicos geram problemas emocionais e de relacionamento. Além disso, a má qualidade do sono de quem respira pela boca acaba diminuindo a oxigenação do cérebro, o que dificulta a concentração, atenção e afeta o desempenho escolar.

“É comum a criança ter dificuldade de dicção e se cansar muito nas atividades físicas. Ela brinca menos, fica insegura e tem a autoestima afetada, gerando agitação e agressividade, especialmente na interação com os colegas. Tudo isso acaba por produzir um quadro de  estresse, cansaço e ansiedade”, diz. O tratamento é multidisciplinar e começa descobrindo e tratando o motivo pelo qual o nariz da criança é obstruído – o que a leva a respirar pela boca. Depois, o ortodentista irá corrigir os problemas causados na face – dentes, maxilar e céu da boca – que o hábito de sempre respirar pela boca causa. Dependendo dos problemas, outros especialistas ajudam no tratamento.

“É algo muito frequente,  porém os sintomas, muitas vezes, não são adequadamente reconhecidos e diagnosticados“, conta Rowdley.

MELHORA
Todos os problemas causados pela respiração bucal podem ser tratados com sucesso. A gerente administrativa Ana Paula Fortunato
de Oliveira, 35anos, já nota melhoras no filho José Roberto, 7, apenas dois meses após iniciar o tratamento. 

“Aos 4 anos, notei que ele vivia com a boca aberta e seca. Comia pouco e dormia muito mal. Era uma criança agitada, nervosa e começou a ter problemas para ler na escola, pois também tinha problema de vista.Não sabia que tudo era causado pela respiração. Hoje ela já dorme e come melhor”, festeja.

FIQUE DE OLHO!

Síndrome do respirador bucal

O que é
Quando a respiração é feita pela boca, total ou parcialmente, e não pelo nariz

Causa
Está relacionada com fatores genéticos, hábitos inadequados (chupar dedo e usar chupeta) e obstrução nasal por várias causas, como traumas, doenças inflamatórias ou alergias

Números
Pesquisa multidisciplinar da Ufes mostrou que 24,3% das crianças do ensino fundamental de Vitória (6 a 12 anos) são respiradores bucais

Sintomas
Boca sempre aberta, nariz obstruído, dor e muco na garganta, tosse seca persistente, dor de cabeça de manhã, mau hálito, sonolência
diurna, irritabilidade, dificuldade para se alimentar, engolir ar em excesso ao falar ou comer, mau rendimento escolar

Diagnóstico
É clínico. Exames complementares avaliam o grau de obstrução do nariz para decidir o tratamento

Tratamento
É multidisciplinar. O médico trata a obstrução nasal, o ortodontista usa aparelhos para reposicionar os dentes e dar forma correta à face,
o fonoaudiólogo ajuda na mastigação e fala, e o fisioterapeuta, na postura

Os problemas
Osso e postura
Respirar pela boca pode deformar o rosto e alterar a posição dos dentes, da língua (prejudicando fala e mastigação) e até mudar a
postura. Pode evoluir para doenças cardiorrespiratória e endocrinológica

Sono
Sem respirar direito, o sono não descansa e pode haver distúrbios como apneia (parar de respirar) e ronco 

Atividade física
Como se cansam com facilidade, é difícil praticar atividades físicas. São sedentárias e preferem videogames e TV

Alimentação
É difícil respirar e comer ao mesmo tempo, por isso há preferência a comidas fáceis de mastigar e há cansaço ou irritação nas refeições.
Come pouco e tem baixo peso

Escola
A noite maldormida diminui a concentração e atenção, prejudicando o rendimento escolar. O aprendizado da leitura e escrita, por exemplo, é mais lento 

Autoestima
As dificuldades no desenvolvimento da comunicação mexem com a autoestima, gerando agitação e agressividade, especialmente na
interação com os colegas. Tudo isso acaba gerando estresse, cansaço e ansiedade

Fonte: Entrevistada e pesquisa da Ufes

RENATA LACERDA
rlacerda@redegazeta.com.br

Comments are closed.