Um olhar sobre a obesidade infantil

O documentário “Muito Além do Peso”, dirigido pela cineasta paulista Estela Renner, surgiu da urgência de alertar a população brasileira sobre a obesidade infantil: 33,5% das crianças de 5 a 9 anos estão com sobrepeso, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Após a primeira produção da Maria Farinha Filmes, ‘Criança, A Alma do Negócio’, em 2009, queríamos investir em outro projeto de cunho social. Já tínhamos constatado que muitas crianças brasileiras não sabiam o que eram algumas frutas, como mamão e manga, por exemplo. E com essa pesquisa do IBGE percebemos que a obesidade infantil precisava de uma ferramenta audiovisual para ilustrar o problema”, explica Estela, em entrevista ao C2. “Como fazemos a pesquisa ‘Monitoramento da publicidade para crianças’ em um convênio com o Instituto Alana, também contribuímos com alguns dados para o filme, além de eu ter concedido um depoimento que vai entrar no site como extra. Não podemos dizer que a publicidade é o principal causador da obesidade, mas é um dos fatores importantes”, defende Rebouças.

PESQUISA
A pesquisa para produzir “Além do Peso” começou há dois anos e durou por toda a produção do filme. Especialistas como Ann Cooper, diretora do School Food Project, apoiado por Michele Obama, o indiano Amit Goswami, que desenvolveu estudos em física quântica sobre o assunto, Jamie Oliver, líder do movimento Food Revolution e o médico José Augusto Taddei foram alguns dos entrevistados. Estela e sua equipe percorreram o país para encontrar famílias com crianças de diferentes regiões e classes sociais para conversar sobre alimentação. E o resultado foi assustador. “Vimos que a obesidade é uma epidemias em fronteiras. Além do impacto da publicidade, o problema passa pela família que não se alimenta bem, a escola que oferece cantinas recheadas de guloseimas, a distribuição excessiva desses produtos no país de forma barata em uma embalagem sedutora.” Mãe de três filhos, a cineasta se surpreendeu ao perceber que o filme já começou a mudar a vida de algumas pessoas, além de ter influenciado a própria família. “As salas de cinema estão cheias e recebemos convites internacionais. Fiquei surpresa quando recebi centenas de e-mails de famílias dizendo que o filme transformou suas vidas. Pensei que o projeto levantaria discussão, mas não esperava que tocasse tanto as pessoas. Até lá em casa meus filhos estão mais conscientes e encorajam os amigos”.

IBGE
O resultado da pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelando que 33,5% das crianças de 5 a 9 anos estão com sobrepeso, incentivou Estela a dirigir o documentário.

Junk Food
De acordo com pesquisa realizada nos Estados Unidos, o índice de sobrepeso aumenta 134% em crianças quando elas são expostas à publicidade de junk food.

Diabete
De acordo com especialistas entrevistados no documentário, a diabete tipo 2, apesar de ter base genética, só se desenvolve em crianças se ela não pratica atividades físicas e engorda por se alimentar mal.

JULIA CASOTTI
jnogueira@redegazeta.com.br

Comments are closed.